23/12/2016


Aos 29 anos, Tchô deixa o Boa Esporte para vestir a camisa do Leão
do Bonfim pela segunda vez; na primeira, chegou à semi do Mineiro

Vinícius Dias

Campeão brasileiro da Série C pelo Boa Esporte, o meia Tchô, de 29 anos, voltará ao Villa Nova. A negociação, que teve início há três semanas, foi encaminhada nesta sexta-feira, segundo apurou o Blog Toque Di Letra. Tchô, que também interessava ao Uberlândia, é visto no Leão do Bonfim como 'presente de Natal'. Depois de fazer os exames, o reforço deve ser confirmado oficialmente nas próximas horas por meio de vídeo já gravado pelo presidente alvirrubro, Márcio Botelho.

Tchô: quatro gols em dez jogos pelo Boa
(Créditos: Asscom Boaec/Pakito/Edimar/Gianluca)

Essa será a segunda passagem do meia, formado nas divisões de base do Atlético, pelo clube. A primeira aconteceu em 2013, temporada em que o time de Nova Lima chegou às semifinais do campeonato estadual. Tchô foi um dos destaques, marcando cinco gols em 13 jogos disputados. As boas atuações despertaram o interesse do Figueirense, para onde se transferiu logo depois do Mineiro.

Números nesta temporada

Seu último clube foi o Boa Esporte, pelo qual marcou quatro gols em dez partidas na Série C. No Villa Nova, o meia encontrará atletas experientes, como o goleiro Fernando Henrique, ex-Fluminense, e o zagueiro Gladstone, ex-Cruzeiro. Sob o comando de Leston Júnior, a equipe estreará contra o Cruzeiro, no dia 29 de janeiro.


Volante celeste foi o único a receber 13 votos; eleito craque pelos
jornalistas, alvinegro Robinho ainda venceu a enquete dos leitores

Da Redação

Com a participação de 13 jornalistas, de nove veículos, o Blog Toque Di Letra elegeu nesta semana a 'Seleção Mineira' de 2016. Ao todo, foram votados quatro treinadores e 33 jogadores, que atuaram por cinco clubes diferentes na temporada. Henrique, do Cruzeiro, foi a única unanimidade. Mano Menezes (seis votos) foi o melhor treinador, e Robinho, do Atlético, eleito (11 votos) o craque do ano - com 72% dos votos, também venceu a enquete de 'Craque do Leitor'.


Com seis votos, João Ricardo, do América, foi eleito o melhor goleiro - menção honrosa a Follmann, ex-URT, que recebeu dois votos e foi o único atleta do interior citado. O setor defensivo da equipe, escalada a partir do esquema 4-4-2, é formado pelo lateral-direito Marcos Rocha (seis votos), a dupla de zaga Manoel (nove votos) e Gabriel (oito votos), além do lateral-esquerdo Fábio Santos (oito votos).

(Arte: Douglas Vogel Zimmer/Blog Toque Di Letra)

O meio-campo reúne três cruzeirenses e um atleticano: os volantes são Henrique (13 votos) e Rafael Carioca (nove votos), com os meias Robinho (sete votos) e Arrascaeta (11 votos) completando o setor. No ataque, dois alvinegros: Robinho (dez votos) e Lucas Pratto (nove votos), que, juntos, marcaram 44 gols na atual temporada - polivalente, o camisa 7 também recebeu dois votos como meia.

Colunistas e dez convidados

Além de Vinícius Dias, Douglas Zimmer e Alisson Millo, do Blog Toque Di Letra, participaram da votação: Rafael Arruda (Superesportes), Fernando Martins e Marco Astoni (Globoesporte.com), Victor Martins (UOL Esporte), Henrique André (Hoje em Dia), Lohanna Lima (O Tempo), Bruno Azevedo (Rádio Itatiaia), Léo Gomide (Rádio Inconfidência), Paulo Azeredo (Rádios Inconfidência e 98 FM) e Adroaldo Leal (Rádio 98 FM).

22/12/2016


Curso licença A reuniu profissionais como Roger Machado, Vagner
Mancini, Ney Franco e dirigentes das bases de Atlético e Cruzeiro

Vinícius Dias

Em meio ao período de férias no futebol nacional, dezenas de treinadores trocaram o descanso pela busca por conhecimento. O primeiro módulo do curso licença A da CBF, cuja turma foi intitulada Caio Júnior, contou com nomes como Roger Machado, que comandará o Atlético no próximo ano, e Vagner Mancini, substituto de Caio na Chapecoense. Encerrado no fim de semana passado, o curso também teve a presença de vários profissionais ligados ao futebol mineiro.


"Foram dez dias em Teresópolis respirando futebol, 56 treinadores, todos eles com uma história particular e um objetivo comum: conhecimento", diz Alexandre Grasseli, capixaba que trabalhou entre 2005 e 2011 na base do Cruzeiro. "O intercâmbio com outras escolas do futebol mundial, tais como alemã e italiana, só confirma que o futebol brasileiro tem seus conceitos e está evoluindo a partir de cursos como esse da CBF", completa Grasseli ao Blog Toque Di Letra.

'Mineiros' durante curso em Teresópolis
(Créditos: Arquivo Pessoal/Alexandre Grasseli)

De volta ao Brasil após uma passagem de quase três anos pelo Petro de Luanda, de Angola, o treinador também destaca a mobilização visando à regulamentação da profissão no país, por meio da aprovação de lei, e ao reconhecimento da licença da CBF em âmbito mundial.

Dirigentes de Atlético e Cruzeiro

Pelo menos mais seis profissionais ligados a clubes do estado realizaram o curso: o carioca André Figueiredo, diretor de futebol de base atleticana; o paranaense Adilson Batista, ex-treinador do Cruzeiro; e os mineiros Moacir Júnior, comandante do Botafogo/SP; Léo Condé, do CRB; Ney Franco, ex-Ipatinga; e Emerson Ávila, coordenador da base celeste.

21/12/2016


Oferta inicial girava em torno dos R$ 34 milhões, mas clubes pedem
R$ 40 milhões pelos direitos de transmissão a partir do próximo ano

Vinícius Dias

Com ares de novela, a negociação do novo contrato de TV do Campeonato Mineiro está perto de seu capítulo final. A primeira proposta apresentada pela emissora girava em torno dos R$ 34 milhões. A intenção dos clubes, representados pela FMF, é de que a cessão seja fechada por 40 milhões anuais - o acordo anterior tinha base de R$ 23 milhões. Segundo o Blog Toque Di Letra apurou, as tratativas avançaram.


A expectativa nos bastidores é de desfecho positivo ainda neste mês. "Está em processo de negociação, para concluir a qualquer momento, mas ainda não está fechado", ponderou um dirigente. Um dos pontos em aberto é a duração: a princípio, os clubes pleiteiam quatro ou cinco temporadas, com reajuste automático a cada edição.

Renovação está prestes a ser definida
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Para que fosse formatada a pedida de R$ 40 milhões, Atlético e Cruzeiro abriram mão de parte de suas fatias - faturariam R$ 24 milhões, juntos, ficando com 60%, e não 64% do total. O América seguiria com 8%, mas passando a receber R$ 3 milhões por temporada. No rateio, o percentual destinado ao interior teria reajuste: cada clube embolsaria cerca de R$ 1 milhão - nesses moldes, os valores projetados na segunda quinzena de novembro seriam superados.

Bastidores das negociações

Embora seja previsto contrato único, as negociações foram alinhadas em etapas. Há dois meses, interlocutores revelaram que Atlético e Cruzeiro já conversavam com a TV - à época, apenas o clube celeste confirmou. No momento, as tratativas acontecem em paralelo com as do Campeonato Gaúcho e são encabeçadas pelas duas federações estaduais e pela cúpula nacional da emissora.

20/12/2016

Por menos lesões e mais Galo em 2017

Alisson Millo*

Dezembro anuncia o fim de uma temporada atípica. Em 2016, o torcedor atleticano não comemorou nenhuma conquista, apesar dos investimentos altíssimos. E, mal acostumada com temporadas anteriores, a massa quer mudanças para 2017.


A primeira já veio! Roger chegou credenciado por um ótimo trabalho no Grêmio e tem o apoio de boa parte da torcida. Resta saber se a diretoria respaldará o treinador, visto a pouca paciência demonstrada com Marcelo Oliveira, Diego Aguirre e, sobretudo, Levir Culpi. Mas a esperança é que o novo comandante dê cara de time ao Atlético, para que deixe de ser um amontoado de bons nomes. Em poucos dias, Diogo Giacomini provou ser possível e, promovido a auxiliar, ajudará Roger no dia a dia - inclusive a lançar jogadores da base, que ele conhece bem.

Mais uma vez, torcida fez a diferença
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Se as conquistas não vieram, algumas boas surpresas dão esperanças ao torcedor. Robinho deixou o fraco futebol chinês para, sem pré-temporada nem nada, se destacar e conquistar o Troféu Friedenreich, dado ao maior goleador da temporada. Outro nome que nos deu várias alegrias foi Fred. Questionado quando contratado, caiu rapidamente nas graças da massa e terminou como um dos artilheiros do Brasileirão.

Cazares e Otero: dois acertos

Pouco badalado e protagonista de uma novela que parecia sem fim, Juan Cazares foi mais um grande acerto da diretoria. Novo, habilidoso e com credencial de craque, embora incerteza fora dos gramados, o camisa 11 precisa ser trabalhado para deslanchar em campo. O venezuelano Romulo Otero é outro meia que chegou nesta temporada e, assim como Cazares, mostrou muita qualidade, com um pouco mais de maturidade.

Otero foi um dos destaques deste ano
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Como nem só de acertos e alegrias vive um dirigente de futebol, alguns fiascos aconteceram. Contratações equivocadas - Carlos Eduardo, Ronaldo Conceição e Hyuri -, renovação desnecessária - Edcarlos - e, em especial, pouca cobrança por parte do presidente ajudam a explicar a ausência de títulos em um ano iniciado com muita expectativa.

A ausência do 'craque' Maluf

Outra nota triste para o quadro de saúde de Eduardo Maluf. Profissional exemplar e dono de um conhecimento ímpar para sua função, Maluf fez muita falta no dia a dia do clube. Nossos desejos são de uma recuperação plena e de retorno com força total no próximo ano, contribuindo de forma decisiva para o sucesso do Atlético.

Nepomuceno será secretário municipal
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Para 2017, algumas preocupações dentro de campo e nos bastidores. Nas quatro linhas, o setor defensivo já deu provas de fragilidade e precisa ser reforçado. Alguns destaques vêm sendo assediados e, caso as negociações aconteçam, a torcida não se contentará com reposição meia-boca. Fora de campo, alguns nomes importantes têm sido chamados pelo novo prefeito para ocuparem cargos em BH e, no momento, tudo o que o Atlético não precisa é de atenção dividida.

Que o ano novo seja melhor, traga títulos, um trabalho melhor e menos lesões. Esse é o desejo de todos os torcedores atleticanos. Serão várias competições e, em todas elas, pra cima deles, Galo! 

*Jornalista. Corneteiro confesso e atleticano desde 1994.
Goleiro titular e atual capitão da seção Fala, Atleticano!

19/12/2016


Nos tempos de Grêmio, treinador chegou a sugerir contratação ao
tricolor; compra por parte do Timão ainda tem valores em aberto

Vinícius Dias

Embora tenha encerrado o Campeonato Brasileiro com o segundo melhor ataque, com 61 gols em 38 rodadas, o Atlético pretende reforçar o setor ofensivo para a próxima temporada. Uma das alternativas em pauta é o meia-atacante Marlone. O interesse foi noticiado pelo Lance! e confirmado pelo Blog Toque Di Letra, que apurou detalhes. O nome agrada a Roger Machado, que, nos tempos de Grêmio, chegou a discutir a contratação do jogador com a cúpula do clube gaúcho.

Marlone: oito gols em 35 jogos no ano
(Créditos: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Indicado ao Prêmio Puskas pelo gol marcado ante o Cobresal, do Chile, na Copa Libertadores, Marlone teve uma temporada de altos e baixos, mas terminou como titular. A princípio, o Corinthians não planeja liberá-lo. O clube tem 50% dos direitos econômicos do jogador - parte dos valores da compra está em aberto -, enquanto o restante pertence a um grupo de investidores, que teria de ser acionado. De férias, Marlone ainda não foi contatado pelos clubes.

Palavra final ainda neste ano

O primeiro movimento de bastidores ligado ao tema aconteceu na última semana, quando o Atlético fez uma sondagem. À reportagem, uma fonte ligada a um dos empresários envolvidos na gestão da carreira do meia-atacante destacou que ainda não foram discutidos valores, o que deve acontecer nos próximos dias. Marlone tem vínculo com o Corinthians até dezembro de 2019 e, dos três lados, a intenção é de que a situação seja definida até o fim deste ano.

17/12/2016


A menos de dois meses do início do Campeonato Mineiro, clubes do
interior se movimentam no mercado em busca dos últimos reforços

Vinícius Dias

Anunciado como reforço do Tricordiano em outubro, Carlinhos Bala não vai mais disputar o Campeonato Mineiro. Segundo comunicado divulgado pelo clube, o atacante faltou na data definida para apresentação do elenco e, mesmo após a extensão do prazo, não compareceu. Diante do impasse, a diretoria do Galo de Três Corações anunciou a rescisão do pré-contrato do pernambucano, de 37 anos.

Carlinhos Bala não disputará o Mineiro
(Créditos: Arquivo Pessoal/Carlinhos Bala)

Em festa neste sábado, o clube apresentará seu camisa 10. "Já jogou em grandes equipes e na Série A", antecipou o diretor de futebol, Leonardo Henrique, ao Blog Toque Di Letra. Sem Carlinhos Bala, o setor ofensivo terá Rodriguinho, atacante campeão brasileiro em 2010 pelo Fluminense, como principal nome. No estadual, o time alvirrubro será comandado por Edinho, filho do Rei Pelé.

Thiaguinho reforça a Pantera

Campeão e melhor jogador do Campeonato Brasileiro sub-20 em 2010, o atacante Thiaguinho, ex-Cruzeiro, defenderá o Democrata de Governador Valadares na próxima edição do Campeonato Mineiro. Formado na base estrelada, o goiano, de 25 anos, retorna ao futebol mineiro após cinco temporadas. Seu último clube foi o Sertãozinho, pelo qual foi campeão paulista da Série A3 neste ano.

Tchô em pauta no Uberlândia

Campeão da Série C pelo Boa Esporte, Tchô está em alta no mercado. As atuações do meia, de 29 anos, despertaram o interesse de dois clubes do módulo I. Segundo o Blog apurou, um deles é o Uberlândia. O Verdão já anunciou as contratações de Mauro Viana e Robinho, que na última edição formaram a dupla de zaga da semifinalista URT, e de Reinaldo Alagoano, atacante com passagem pelo Cruzeiro.

16/12/2016

No ano novo, quero o velho Cruzeiro!

Douglas Zimmer*

Salve, China Azul!

Fim de ano, torcida apreensiva e direção que já não tem mais o mesmo crédito com as arquibancadas. O que esperar dessa temporada que virá? Quanto precisa ser modificado no futebol do Cruzeiro para que as coisas comecem e dar certo outra vez? Todos nós vimos que o principal erro do Cruzeiro em 2016 foi o de não manter um planejamento.


Concordo que a situação nunca esteve tranquila, mas, da mesma forma, a diretoria não deu mostras de que poderia traçar um plano em longo prazo com os pilares que sustentam o futebol, especialmente em se tratando do cargo de treinador. Os resultados ou não apareciam ou apareciam muito timidamente, sem dar a menor pinta de que a equipe poderia alçar voos maiores. Como em 2015, a coisa só começou a estabilizar e, bem depois, melhorar quando as ações se sobrepuseram aos discursos.

Afirmações, retornos e saídas em pauta
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

De nada adianta ir aos microfones ou redes sociais e querer jogar para a torcida se, dentro das quatro linhas, o que se vê é um emaranhado de jogadores que não se entendem ou não estão alinhados com o perfil da comissão técnica, que, por sua vez, desagrada aos dirigentes. Um clube, como qualquer empresa, funciona somente se objetivo e métodos forem compartilhados por todos. No entanto, não basta querer ganhar. É preciso analisar o panorama e traçar uma estratégia para isso.

Fim do protagonismo indesejado

Se tem algo que me deixa um pouco mais animado para o próximo ano é que, ao que tudo indica, o Cruzeiro não será protagonista no período de contratações. Digo isso porque, na minha opinião, está na hora de voltar a ter uma espinha dorsal definida, introduzindo apenas atletas que tenham condição de elevar o patamar. Venho batendo na tecla de que a Raposa precisa parar de contratar pelo fato de contratar. Quantos jogadores não vemos, ano a ano, chegando, sendo apresentados e emprestados a outros clubes quando até já tínhamos nos esquecido deles?

Mano segue: Cruzeiro no topo em 2017?
(Créditos: Rodrigo Rodrigues/Light Press/Cruzeiro)

Confesso que estou muito curioso para ver como Mano Menezes se sairá tendo um ano cheio à disposição. Como ele irá montar a equipe desde o começo da temporada, ajustando as peças que tem e, dentro do possível, tendo seu elenco reforçado pontualmente. Apesar da traumática saída em 2015, não dá para negar que seu retorno trouxe um novo clima e, se não vieram títulos, pelo menos os resultados passaram a ser mais condizentes com a grandeza do clube.

Em busca da identidade perdida

Portanto, não farei lista de desejos nem pedirei presente caro. Desta vez, desejo apenas que a diretoria procure um rumo e tenha confiança em seu trabalho. Que, com a vinda de Tinga, que é um excelente caráter e será muito útil nos bastidores, e manutenção da comissão técnica e das peças principais, o Cruzeiro volte a ter uma identidade bem definida, à qual nós, torcedores, continuemos a apoiar e da qual nos orgulhemos.

Tinga: volta a casa, fora dos gramados
(Créditos: Site Oficial do Cruzeiro/Divulgação)

Não quero aqui citar nomes que acho que devam sair, ficar, muito menos indicar reforços. Quero apenas reforçar que não devemos desconsiderar o resultado das experiências que tivemos em 2015 e 2016. Dois longos anos nos quais, em boa parte do tempo, ficamos mais preocupados com quem comandaria a equipe do que com ela em si. Muitos nomes passando pelo campo, mas poucos com os quais realmente pudemos contar. Vejo o saldo positivo pelo fato de termos, hoje, um elenco superior àquele que restou após o desmanche do grupo bicampeão.

Que em 2017 possamos conquistar títulos e recuperar nossa confiança. O orgulho de ser cruzeirense nunca nos deixará. Até a próxima temporada, amigos! Tenham todos um ótimo final de ano.

*Gaúcho, apaixonado pelo Cruzeiro desde junho de 1986.
@pqnofx, dono da camisa 10 da seção Fala, Cruzeirense!

15/12/2016


3º Futebol Solidário deve reunir duas mil pessoas no Louis Ench, em
Fabriciano; em 2015, foram 4,5 mil quilos de alimentos arrecadados

Vinícius Dias

A solidariedade está escalada para a partida deste domingo, em Coronel Fabriciano, no Vale do Aço. Às 10h, o estádio Louis Ench vai receber a 3ª edição do Futebol Solidário, realizado pelos fabricianenses Danilo, lateral-esquerdo do América, e Rafael, goleiro do Cruzeiro. Dois quilos de alimentos não perecíveis darão direito a entrada. A arrecadação será doada a instituições locais, de Ipatinga e de Timóteo - a logística de entrega será realizada em parceria com o 'Movimento do Bem'.


Além dos organizadores, entre os nomes confirmados estão Matheusinho, Claudinei e Michael, do América; Alex Silva, do Atlético; Rithely e Vinícius Araújo, do Sport; Elisson, do Cruzeiro; e Leston Júnior, treinador do Villa Nova. "Gostaria de agradecer e convidar a todos para que, no domingo, compareçam a esse jogo beneficente por uma causa muito nobre, que é ajudar o pessoal do Vale do Aço, e também para se divertir conosco", diz Rafael ao Blog Toque Di Letra.

Rafael e Danilo no 2º Futebol Solidário
(Créditos: Samuel Fagundes/Movimento do Bem)

A troca antecipada de ingressos acontece em oito postos, nas cidades de Coronel Fabriciano, Ipatinga e Santana do Paraíso. No dia do jogo, haverá troca apenas no estádio Louis Ench. A expectativa é de que cerca de dois mil torcedores compareçam. Com isso, os números da última edição - foram contabilizadas cerca de 4,5 toneladas de alimentos não perecíveis - devem ser superados no domingo.

Leilão solidário termina hoje

Além da bilheteria, há arrecadação por meio de um leilão solidário, que reúne artigos e camisas usadas por atletas de América, Atlético, Cruzeiro, Flamengo, Inter, Palmeiras e Sport. Serão aceitos lances, em quilos de alimentos não perecíveis, até as 23h59 desta quinta-feira. A entrega aos vencedores acontecerá na manhã de sábado, no estádio. No mesmo dia, Danilo e Rafael receberão alunos da Apae local.

14/12/2016


Um dos alvos era Cléber, do Hamburgo, que tem negociações com o
Santos; pelo Atlético/PR, Thiago Heleno foi destaque no Brasileirão

Vinícius Dias

Em busca de reforços, a diretoria do Atlético trata o setor defensivo como prioridade. Um dos alvos era o zagueiro Cléber, do Hamburgo, que tem negociações avançadas com o Santos. Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, outro nome na pauta alvinegra é Thiago Heleno. Emprestado ao Atlético/PR até o fim deste mês, o ex-cruzeirense tem direitos econômicos ligados ao Deportivo Maldonado, do Uruguai.

Furacão teve a melhor defesa da Série A
(Créditos: Gustavo Oliveira/Site Oficial/Atlético-PR)

Em rápido contato com a reportagem, o agente do zagueiro, Giba Brasil, confirmou que houve uma sondagem do clube mineiro. "O Thiago está no mercado, mas a preferência é do Atlético/PR", emendou. Dono da melhor defesa do Campeonato Brasileiro, ao lado do Palmeiras, o Furacão teve o camisa 44 como um dos destaques. Nesta temporada, foram 51 partidas disputadas e cinco gols marcados.

Alvo está em Minas Gerais

Passado o Campeonato Brasileiro, o zagueiro, de 28 anos, curte férias em Sete Lagoas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Procurado pela reportagem na tarde desta quarta-feira, o presidente do Atlético, Daniel Nepomuceno, não atendeu à ligação.


Vice de futebol confirmou contato com atleta e avaliou situação
contratual: 'Se quiser continuar na China, não temos como arcar'

Vinícius Dias

Maior artilheiro estrangeiro da história do Cruzeiro, Marcelo Moreno entrou definitivamente em pauta para 2017. Conforme apurou o Blog Toque Di Letra, o primeiro movimento de bastidores ligado ao tema ocorreu um dia após o término do Campeonato Brasileiro, por meio do vice-presidente de futebol Bruno Vicintin - o boliviano esteve na sede do clube em novembro, mas a vinda a Belo Horizonte se deveu a assuntos pessoais. Ainda não há uma proposta documentada.


Mais do que de números, entretanto, o acordo dependerá dos planos de Marcelo Moreno. Prestes a ficar livre no mercado, o atleta é alvo de pelo menos dois clubes chineses, além do próprio Changchun Yatai, do qual foi artilheiro na última edição da Superliga, com 13 gols. Por um retorno ao Brasil, na comparação com o atual contrato, teria de aceitar abrir mão de mais da metade dos valores.

Boliviano comemora gol pelo Cruzeiro
(Créditos: Geraldo Bubniak/Light Press)

Nessa terça-feira, em entrevista coletiva, Vicintin mostrou estar ciente da situação. "A gente conversou com ele, e as portas do clube estão abertas. Porém, é uma decisão de carreira. Se ele quiser continuar fora do Brasil, principalmente na China, o Cruzeiro não tem como arcar. Se quiser voltar para o Brasil, ofereceremos boas condições". O agente do atleta, Fabiano Farah, não atendeu às ligações da reportagem.

Títulos e gols pelo Cruzeiro

Somadas as duas passagens, Marcelo Moreno disputou 93 partidas com a camisa celeste e marcou 45 gols. No Cruzeiro, o boliviano foi duas vezes campeão mineiro e também conquistou o Campeonato Brasileiro de 2014, marcando 15 gols na campanha.

13/12/2016


Marco Antônio Batista destaca condição administrativa do Coelho
e prega 'olhar de lupa' no mercado por retorno imediato à Série A

Vinícius Dias*

O mau desempenho do América no Campeonato Brasileiro, culminando no rebaixamento, refletirá fora de campo na próxima temporada. Na elite, o alviverde faturou mais de R$ 25 milhões com direitos de transmissão. Na Série B, a cota deve cair 80%, ficando em cerca de R$ 5 milhões. Nesse cenário, conforme o Blog Toque Di Letra apurou, o clube deve trabalhar com um orçamento na faixa de R$ 20 milhões em 2017, metade do valor apontado para esta temporada.


Sem antecipar detalhes, Marco Antônio Batista, membro do Conselho de Administração, confirma a projeção. "(No orçamento), os números estarão refinados. Mas a ordem de grandeza é essa mesmo". Neste ano, o Coelho teve folha salarial de aproximadamente R$ 1,5 milhão mensal. De volta à divisão de acesso, as cifras praticadas em 2017 serão mais modestas. "A redução será grande", assegura.

Marco Batista fala dos planos para 2017
(Créditos: Carlos Cruz/América FC/Divulgação)

A tendência é de que mais da metade do orçamento seja destinada ao futebol. Ainda assim, Batista reconhece que a margem de erro diminuirá. "Tem de ter um olhar de lupa para montar o elenco, já que as mudanças serão grandes. A diretoria de futebol terá de trabalhar em cima de uma realidade bem mais rígida (para 2017)", comenta o presidente americano, destacando que, do ponto de vista administrativo, o clube está em boas condições atualmente.

Patrocínios e vendas em pauta

Visando minimizar o impacto da diminuição das receitas de TV, o América considera duas alternativas: busca por novos patrocínios e negociações de atletas. Em campo, a prioridade será garantir presença na elite em 2018. "Fizemos um trabalho brilhante em 2015 e temos que fazer o mesmo em 2017 para voltarmos à Série A. Estamos profissionalizando o clube e com projetos para deixar uma estrutura capaz de suportar o desafio de voltar rapidamente à elite e permanecer", diz Marco Antônio Batista.

*Atualizada às 17h31

12/12/2016


Com bom trânsito, mineiros e pernambucanos fecharam diversos
negócios em 2016; intercâmbio deve ser mantido no próximo ano

Vinícius Dias

Devido à boa relação entre as diretorias, Santa Cruz e Cruzeiro fecharam várias negociações nesta temporada. O volante Uillian Correia e o meia-atacante Matías Pisano, emprestados pelos mineiros aos tricolores, foram personagens de duas delas. Encerrado o Campeonato Brasileiro, a dupla dificilmente continuará em Recife. O clube nordestino, porém, vê caminho aberto para que o intercâmbio prossiga em 2017.


"Os contratos acabam agora. O Santa Cruz vai enfrentar outra realidade (com o rebaixamento) em 2017", detalha o diretor de futebol Jomar Rocha ao Blog Toque Di Letra. Matías Pisano tem contrato com o Cruzeiro até dezembro de 2018, enquanto Uillian Correia assinou até agosto de 2019. Ambos, a princípio, têm futuro indefinido e precisarão se reapresentar na Toca da Raposa II em janeiro.

Pisano e Uillian Correia no tricolor
(Créditos: Jéssica Santana/Santa Cruz)

Nos bastidores, a informação é de que, após a formatação do elenco para 2017, a Raposa deve apresentar alternativas e ceder até dois atletas por empréstimo ao tricolor. Sem dar detalhes, Jomar confirma a expectativa. "Provavelmente, tem algum jogador que vai interessar para a gente. Nós vamos aguardar o que o Cruzeiro disponibilizará". A avaliação dos nomes caberá ao novo técnico tricolor, ainda não definido.

Cruzeiro deve comprar Raniel

Emprestado até maio de 2017, Raniel foi um dos destaques do sub-20 do clube celeste nesta temporada. De acordo com o site CoralNET, 60% dos direitos econômicos do meia-atacante estão avaliados em US$ 1,2 milhão. Embora não confirme valores, a cúpula do Santa Cruz crê em venda. "Eles têm a preferência. Raniel é um jogador muito bom. Provavelmente, vão efetuar essa transferência", avalia o diretor.