28/06/2014


Camisa 9 é o quarto jogador formado pelo América a disputar
Copa do Mundo; histórico positivo motiva 'promessa' alviverde

Vinícius Dias

Na lateral, David Luiz recebe de Fernandinho e cruza para a área. O passe encontra a testa de Fred, que completa para as redes de Itandje. Naquele momento, quando milhares de brasileiros comemoravam o terceiro gol da vitória, por 4 a 1, sobre Camarões, a memória dos americanos remetia ao início dos anos 2000. "Lembro-me de um momento difícil vivido pelo Fred nos juniores do América. O clube apostou nele, levando para a Copa São Paulo e, lá, ele iniciou a trajetória", conta o gerente de futebol do Coelho, Flávio Lopes, ao Blog Toque Di Letra.


Titular no time dirigido por Felipão, Fred é o quarto jogador formado nas categorias de base do América a vestir a camisa da seleção canarinho em Copas do Mundo. O atleta repete os feitos de Gilberto Silva, que disputou três Mundiais, entre 2002 e 2010; Tostão, convocado para as Copas de 1966 e 70; e de Éder Aleixo, que integrou a seleção de Telê Santana, em 1982, na Espanha.

Fred: um artilheiro com toque americano
(Créditos: Rafael Ribeiro/CBF/Divulgação)

Na avaliação de Flávio Lopes, o histórico positivo dos ex-americanos pela seleção confirma o bom trabalho realizado na base do clube. "O América é muito forte em suas categorias de base e, por isso, sempre foi um clube revelador", observa o dirigente americano. "Nós ficamos felizes com esses resultados, mas nossa intenção é, cada vez mais, intensificar o trabalho", acrescenta Lopes.

Do América à seleção

Além do quarteto Fred, Gilberto Silva, Tostão e Éder Aleixo, nomes como Palhinha, Euller e Evanílson também registraram trajetórias de sucesso na seleção depois de serem formados pelo clube belorizontino. Tradição que, nos últimos anos, foi reforçada com as convocações do lateral Danilo, do Porto/POR, e do meia Wágner, do Fluminense.

Matheus: sonho de defender a seleção
(Créditos: América-MG/Site/Divulgação)

Passado e presente inspiram o futuro. Próximo de acertar com o Sporting Braga/POR, o goleiro Matheus Lima, de 21 anos, se apega à tradição para falar do sonho de vestir a 'amarelinha'. "O América sempre foi um criador, um formador de jogadores, e está de parabéns por isso", destaca. "Todo jogador tem, sim, o sonho de servir a seleção, e comigo não é diferente", fala ao Blog Toque Di Letra, sonhando em ser outro nome na estatística que une América e seleção.

25/06/2014

Na China, de olho em reforços

Ricardo Diniz

A pausa no calendário do futebol brasileiro, em função da Copa do Mundo de 2014, veio em boa hora para vários clubes, entre eles o Atlético. Isso porque o clube alvinegro tem sofrido, desde o início da temporada, com a dificuldade para contratar reforços e, principalmente, com um excesso de jogadores lesionados.


Após prometer pelo menos duas novidades, o diretor de futebol Eduardo Maluf apresentou o meia-atacante Maicosuel, ex-Udinese/ITA, Botafogo e Palmeiras. O volante Fernando, ex-Grêmio, e companheiro de Bernard no Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, segue na mira e pode ser mais um reforço para o treinador Levir Culpi na sequência de 2014. Além do Campeonato Brasileiro, o Galo vai disputar a Recopa, contra o Lanús, da Argentina, e a Copa do Brasil.

Maicosuel: reforço para o Brasileirão
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Ainda sem novidades, Levir Culpi vê o elenco ser reforçado por jogadores que deixaram o Departamento Médico. Atletas como Ronaldinho Gaúcho, Marcos Rocha e Réver vão, aos poucos, se recuperando e aumentando as possibilidades do comandante atleticano. Há, também, o goleiro Victor e o centroavante Jô, que estão defendendo a seleção do Brasil na disputa da Copa do Mundo.

Busca por reforços

Enquanto a diretoria sonha em reforçar o time, jogadores como o lateral-esquerdo Richarlyson e os atacantes Fernandinho e Neto Berola estão de saída. Caminho que deve ser seguido pelo volante Rosinei. Assim, o clube se prepara para o reinício da temporada - no dia 16 de julho, quando vai enfrentar o Lanús, na Argentina.

Na China: duas partidas, duas vitórias
(Créditos: Atlético-MG/Flickr/Divulgação)

Na intertemporada em solo chinês, a equipe volta a campo no sábado, dia 28, diante do Guangzhou Evergrande. Hoje, pela manhã, o time alvinegro bateu o Jiangsu Shuntian, por 5 a 3, com quatro gols do atacante André. No último domingo, Ronaldinho Gaúcho havia sido o destaque na vitória, por 3 a 0, contra o Guizhou Renhe. R10 marcou um gol e ainda deu uma assistência para Edcarlos.

24/06/2014

Nos EUA, de olho no Brasil

Douglas Zimmer

Salve, China Azul!

Apesar de todo o país ligado na disputa do maior torneio de futebol entre seleções do planeta, a Copa do Mundo Fifa, a Raposa não ficou parada e busca, nesta intertemporada, aprimorar, aparar e enxugar seu elenco. Tal como no último ano, na ocasião da disputa da Copa das Confederações, mais ou menos neste período do calendário, o clube estrelado programou uma viagem aos Estados Unidos.


A receita deu muito certo em 2013 e, se tudo correr dentro do esperado, tem tudo para funcionar de novo. Além de servir para as partes técnica e tática, o retiro futebolístico em terras americanas serve, ainda, para isolar jogadores e comissão técnica do agito que estamos vivenciando no Brasil. Com a excursão, a programação de treinos e jogos é facilitada e, mais do que isso, há tempo para que os recém-chegados comecem a se entrosar com o restante da equipe.

Marlone: três gols, domingo, no amistoso
(Créditos: Matthew Healey/Light Press/Textual)

As três novidades do time celeste viajaram junto com o grupo e já estão trabalhando. Manoel, ex-Atlético/PR, Marquinhos, ex-Vitória, e Neilton, ex-Santos, são os reforços que a diretoria trouxe neste meio de temporada. Essas três contratações - aliadas à provável permanência de Willian - dão mostras de que o Cruzeiro reúne as condições necessárias para continuar brigando pelo título que defende e, mais do que isso, construir um plantel para disputar a Copa do Brasil.

Uns vão, outros vêm

Quanto à saída de atletas, o certo mesmo é que Luan não faz mais parte dos planos do técnico, e que Wallace deve, de fato, ser negociado. Dadas as circunstâncias, são dois nomes que devem sair sem grande impacto na produtividade celeste. As reposições estão aí, e a máquina não deixará de funcionar com as saídas.

Manoel e Marquinhos estrearam domingo
(Créditos: Matthew Healey/Light Press/Textual)

Voltando ao que interessa: a bola rolando. No último domingo, o Cruzeiro fez o primeiro da série de amistosos nos EUA e venceu por 5 a 1. Gols de Marlone (três), Júlio Batista e Manoel. Foi uma ótima oportunidade, assim como as partidas que estão por vir, de Marcelo Oliveira observar alguns jogadores que não vêm tendo a tranquilidade de entrar para mostrar seu potencial. São casos como o de Marlone, que vem sofrendo com algumas críticas da torcida, mas que, com certeza, tem condições de render muito mais do que mostrou até aqui.

Confira a agenda nos EUA:

24/06 - Cruzeiro x Miami Dade/EUA - 21h
27/06 - Cruzeiro x América/MEX - 21h30
03/07 - Cruzeiro x Tigres/MEX - 22h
06/07 - Cruzeiro x Chivas/MEX - 22h

18/06/2014


Com reforços, Cruzeiro disputa cinco amistosos na terra do Tio
Sam; equipe voltará a usar a camisa amarela, sucesso de vendas

Vinícius Dias

Com três reforços entre os 29 relacionados, a Raposa chega aos Estados Unidos no início da tarde desta quarta-feira, 18 de junho. Na terra do Tio Sam, o time azul estrelado disputará cinco amistosos entre os dias 22 de junho e 06 de julho. O zagueiro Bruno Rodrigo, ainda em recuperação de lesão, será o principal desfalque. O Cruzeiro retorna ao país no dia 08 de julho, na semana anterior à partida contra o Vitória, pela 10ª rodada do Brasileiro, na condição de líder.


O clube mineiro estreia frente ao Miami Dade, no dia 22, time que volta a enfrentar dois dias depois. Na noite do dia 27, o adversário celeste será o América/MEX, em Dallas. No dia 03 de julho, a equipe mineira duela com o Tigres/MEX, do zagueiro Juninho, ex-São Paulo e Botafogo. No dia 07, o Cruzeiro encerra a intertemporada diante do Chivas Guadalajara/MEX, do atacante Omar Bravo.

Cruzeiro volta a disputar amistosos nos EUA
(Créditos: Cruzeiro E.C./Assessoria/Divulgação)

A excursão será também uma oportunidade de o clube estreitar a relação com seus torcedores norte-americanos. "(Faremos) ações para os sócios, estandes de vendas de produtos do Cruzeiro", destaca Marcone Barbosa, diretor de marketing do clube mineiro, ao Blog Toque Di Letra. "Vamos aproveitar a ocasião para lançar a academia de garotos, uma escolinha de futebol do clube, em Chicago", antecipa.

De azul a amarelo...

Aproveitando o período de Copa, a equipe de Marcelo Oliveira deve usar a camisa amarela em pelo menos um dos cinco duelos. O modelo é sucesso entre a China Azul. "Está havendo grande procura dos torcedores", conta Marcone Barbosa, que destaca a oportunidade de dialogar com os clubes mexicanos. "São equipes de primeira linha. Vamos realizar várias ações de intercâmbio com eles. Será um momento de compartilhar experiências de gestão e marketing", afirma.

Elenco azul concluiu preparação na Toca I
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Textual)

No grupo celeste estão o zagueiro Manoel, ex-Atlético/PR, o meia-atacante Marquinhos, ex-Vitória/BA, e o atacante Neilton, ex-Santos. Os três foram apresentados na última segunda-feira e reforçam a equipe no restante da temporada. Por outro lado, o atacante Willian viajou ainda com a situação indefinida. No clube, a expectativa é de que, nos próximos dias, o Metalist aceite a proposta celeste.

Desfalques celestes

Além do titular Bruno Rodrigo, lesionado, a Raposa não vai contar com o zagueiro Wallace, cuja venda para um fundo de investimentos deverá ser acertada nos próximos dias. Nesta semana, a diretoria também definiu as saídas do volante Souza, emprestado para o Santos, e do atacante Luan, devolvido ao Palmeiras.

Copa avança, seleção regride

Vinícius Dias

44 gols em 17 partidas - incluído Brasil x México, jogo de abertura da 2ª rodada. A 1ª rodada da Copa do Mundo foi encerrada nessa terça, com o empate, por 1 a 1, entre Rússia e Coreia do Sul. Do show germânico ao vexame espanhol, ficou a certeza de que (entre um erro aqui, outro ali) o Brasil vem superando as expectativas na organização do Mundial. Ótimas partidas, em estádios à altura da competição e, em especial, com plateias super animadas.

Neymar: oásis de criatividade na seleção
(Créditos: Rafael Ribeiro/CBF/Divulgação)

Em campo, no entanto, a seleção ainda não convence. Diante da Croácia, apesar da tarde inspirada da dupla Oscar e Neymar, a arbitragem teve um papel decisivo na vitória por 3 a 1. Ontem, ante o México, uma regressão inexplicável. Passes errados, um dia em que nada funcionou e um empate por 0 a 0. As laterais preocupam. Meio e ataque alternam maus e ótimos momentos. Júlio César, até aqui, não compromete. E a dupla de zaga vai muito bem, obrigado!

Nota dez da Copa!

À classe de Pirlo, na vitória italiana ante a Inglaterra, por 2 a 1. A Neymar, que não sentiu o peso da estreia com a mágica dez da seleção canarinho: anotou dois gols e foi um dos destaques na vitória (contestável) frente à Croácia, por 3 a 1. Ao civismo dos nipônicos, que recolheram os resíduos deixados nas arquibancadas da Arena Pernambuco - no gramado, porém, deu Costa do Marfim.

Laranja vingadora

Desta vez, Robben não sucumbiu perante Casillas. Desta vez, Van Persie assumiu o posto de protagonista. Cada um deles anotou duas vezes, De Vrij fez o outro. Antes, de pênalti, Xabi Alonso havia inaugurado o placar. Quatro anos depois, a Holanda - dona do melhor futebol desta Copa - se agigantou ante a Espanha, sua algoz em 2010. Foi a pior derrota de uma seleção no ano em que defende o título: 5 a 1. A vingança é, de fato, um prato que se come frio.

'Malvada' favorita

Pepe expulso, Fábio Coentrão lesionado, Cristiano Ronaldo longe de seus melhores dias. Definitivamente, a segunda-feira não era de Portugal. Mais do que isso: foi de Thomas Müller. O centroavante do Bayern de Munique marcou três vezes - chegou, aos 24 anos, a oito gols em sete jogos de Copas do Mundo. Hummels completou o placar. A Alemanha homenageou Schumacher - que saiu do coma - e pisou no acelerador em busca do tão sonhado tetra mundial.

16/06/2014


Enquanto Victor e Jô estão na seleção, grupo viaja para a Ásia;
Maluf quer outros dois reforços e sonha com 'fico' de argentino

Vinícius Dias

Enquanto o goleiro Victor e o camisa 7 Jô vestem a camisa da seleção brasileira na Copa do Mundo, o Atlético embarca para a China no início da noite desta segunda-feira, 16 de junho. No país asiático, o time alvinegro vai disputar três duelos amistosos na próxima semana. Os destaques da delegação serão Diego Tardelli e Ronaldinho Gaúcho, recuperado de lesão muscular. Em tratamento, o capitão Réver é desfalque. O Galo retorna ao Brasil no dia 30 de junho.


O primeiro adversário do clube comandado por Levir Culpi em solo chinês será o Guizhou Renhe, no dia 22. Na sequência, o Atlético vai enfrentar o Jiangsu Shuntian, no dia 25. A intertemporada será encerrada diante do Guangzhou Evergrande, no sábado 28. Segundo o Blog Toque Di Letra apurou, cada exibição vai render cerca de US$ 600 mil (R$ 1,3 milhão) ao clube alvinegro.

Galo derrotou o Guangzhou, no Mundial
(Créditos: Vitor Francesconi/Flickr/Atlético-MG)

Confirmado na lista, o atacante Guilherme afirma que, embora signifique a oportunidade de conhecer um novo país, a excursão para a China vai ser sinônimo de trabalho. "(A viagem) vale como preparação séria, vestindo a camisa de jogo e já pensando na Recopa", afirma. No dia 16 de julho, o Atlético enfrenta o Lanús, na Argentina, na primeira partida da decisão. A final acontece em BH, no dia 23.

Rumo à Recopa...

O volante Pierre evidencia a importância de conquistar bons resultados e, assim, ganhar confiança. "O grupo está focado. Os amistosos serão uma preparação. E o intuito é fazer bonito", fala. A visão é compartilhada pelo técnico Levir Culpi, que festeja a possibilidade de contar com Ronaldinho. "Ele é o embaixador da delegação", diz.

Levir comemorou a presença de R10
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

BASTIDORES - Enquanto o grupo de 22 jogadores embarca, a diretoria alvinegra segue atenta aos bastidores. Além do meia-atacante Maicosuel, que foi apresentado na última semana e deve fazer a estreia na China, o clube continua em busca de, pelo menos, mais dois reforços. Ao mesmo tempo, o meia Rosinei, por exemplo, ficou de fora da lista e deve deixar o Atlético em breve.

Argentino na mira!

O clube também está atento à situação do zagueiro Otamendi. Depois de contratá-lo em janeiro passado, o Valencia ainda não conseguiu regularizar sua documentação. Por isso, o Atlético sonha com um novo empréstimo. Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, no entanto, o clube espanhol pode receber uma proposta de um fundo israelense, que pretende levá-lo para a Inglaterra.

13/06/2014


Depois de sofrer 13 gols em uma partida na cidade natal, Telê
Santana desistiu de seguir os passos do pai; ali surgia um mito

Vinícius Dias

O cenário era a Itabirito da década de 1940 - pelas estimativas, no ano de 1942. Quando Telê Santana da Silva buscou a bola no fundo das redes pela 13ª vez em jogo pelo Itabirense Esporte Clube, ele era apenas 'o filho de Zico Lopes', lendário arqueiro do clube tricolor. "Meu pai começou com muita volúpia e ainda novo. Por influência do meu avô, que, inclusive, defendeu o América Mineiro, ele foi para o gol. Isso aos 10 ou 11 anos", observa o filho Renê Santana, de 57 anos.


"Depois de ter sofrido 13 gols naquela partida, Telê nunca mais quis ser goleiro", conta Renê, sem citar o adversário do qual seu pai fora vítima. A passagem mal-sucedida por debaixo das traves inspirou em Telê o desejo de se aventurar no ataque, função em que se consagraria no Fluminense. Surgia o mito. "As peladas, que antes eram na rua, ele passou a jogar no Itabirense", acrescenta.

Inscrição de Telê na Liga local, em 1947
(Créditos: Arquivo/Itabirense Esporte Clube)

Telê atuou no Itabirense até completar 12 anos. "Ele foi forjado, formado ali", conta Renê. Na sequência, transferiu-se para o rival Usina Esperança, de onde, menos de dois anos depois, retornou ao time do coração. "Telê gostava do Esperança, mas toda a família torcia pelo Itabirense. Ao voltar ao clube, a felicidade foi total", destaca Renê. Aos 16 anos, ele completou sua trajetória pelo trio de ferro de Itabirito ao vestir a camisa do União durante amistoso.

Rumo ao estrelato

Mais tarde, ele deixaria o Itabirense para defender o América de São João del-Rei, equipe que havia sido fundada por seu pai, Zico Lopes. De lá, e motivado pelo sucesso na cidade natal, foi para o Fluminense. "Restava a alegria de ficar ao pé do rádio e ouvir as transmissões", disse, em 2012, o velho amigo Luiz Júnior, de 85 anos.

Telê, à esquerda, em ação nos anos 1940
(Créditos: Arquivo Pessoal/Renê Santana)

ROJÃO - Um acidente, aos seis anos, marcaria a vida de Telê. "Um rapaz estava soltando rojões e, na sequência, dava para os meninos brincarem. Certa hora, o Telê achou que o rojão já tivesse sido usado e pôs a mão", reproduz Renê. Resultado? Telê perdeu o indicador e danificou mais dois dedos da mão esquerda. Acabava ali o sonho de servir o exército. Aquela mão, porém, ergueria inúmeros troféus e manejaria a prancheta tática da seleção nas Copas de 82 e 86.

12/06/2014


Róbson Oliveira, 'sósia oficial' do craque do Atlético, roubou a
cena durante o treino da Argentina, ontem, no Independência

Vinícius Dias

O tão aguardado reencontro entre Messi e Ronaldinho Gaúcho ocorreu na tarde dessa quarta-feira, 11 de junho, na capital mineira. Ou melhor, não. Na verdade, se tratava Róbson Oliveira. O 'sósia oficial' do meia atleticano roubou a cena durante o treinamento da seleção da Argentina no estádio Independência. Ele venceu os seguranças, invadiu o gramado e conseguiu tocar as mãos do argentino.


"(Foi uma) sensação muito especial para mim estar ali, no campo, ao lado dele", disse Róbson, em entrevista ao Blog Toque Di Letra. 'Sósia oficial' de Ronaldinho Gaúcho há mais de dois anos, o alagoano se ajoelhou aos pés do meia-atacante do Barcelona, que, na sequência, exibiu um enorme sorriso no rosto. "Eu nunca mais vou me esquecer desse dia", confirmou, muito emocionado.

Sósia rouba a cena em treino argentino
(Créditos: FC Barcelona Brasil/Reprodução)

Na avaliação do sósia, a emoção vivida no encontro com o dez argentino, quatro vezes eleito melhor do mundo, supera, inclusive, a do dia em que conheceu aquele que o inspira. "O Ronaldo é o cara, um gênio. Mas, hoje, na minha visão, o Messi é o melhor (jogador) deste planeta", acrescentou Róbson Oliveira, a quem Lionel se referiu - em tom de brincadeira - como Ronaldinho Gaúcho.

11/06/2014

Um negócio da China...

Vinícius Dias

A intertemporada de cerca de duas semanas na China vai representar um reforço decisivo para o caixa alvinegro. Segundo o Blog Toque Di Letra apurou, a confirmação da presença do craque Ronaldinho Gaúcho, garoto propagada da série de amistosos, inflacionou a cota recebida pela equipe. Conforme o acordo firmado, cada exibição vai render ao Atlético cerca de US$ 600 mil (R$ 1,3 milhão).

Programação do clube

A delegação alvinegra embarca para a China no dia 16 de junho. Entre os dias 22 e 28, o time de Levir Culpi fará três amistosos. O Guizhou Renhe será o adversário no dia 22. Na sequência, a equipe vai encarar o Jiangsu Shuntian, no dia 25. A intertemporada será encerrada ante o Guangzhou Evergrande, no dia 28.

10/06/2014


Otimista, ex-ponta do histórico Siderúrgica de Sabará projeta
hexa em 2014, aponta Neymar como herói e se compara a Hulk

Vinícius Dias

A placa à mostra no mobiliário da sala da casa de Silvestre Martins, de 81 anos, remete à noite de 04 de setembro de 1965. Um dia antes de Buglê marcar o primeiro tento oficial da história do Mineirão, ele balançara, pela primeira vez, as redes do estádio, à época chamado Minas Gerais. Foi em jogo-treino ante o BanLavoura, time do extinto Banco da Lavoura. Ágil, o então ponta do Siderúrgica não teve dificuldades para bater o marcador e finalizar na sequência.


Quase 50 anos depois, o ex-jogador percorre as memórias. O brilho nos olhos acompanha a fala sobre o estádio de sua época. "Foi uma honra ter jogado na inauguração. Tenho várias lembranças". A expectativa marca o discurso sobre o Mineirão de 2014. "Ficou maravilhoso, estádio de Copa", opina Silvestre, com a certeza de que, neste ano, o mundo verá o estádio em que ele fez história.

Silvestre: titular no jogo de inauguração
(Créditos: Arquivo Pessoal/Silvestre Martins)

O otimismo do itabiritense não fica restrito ao Mineirão. Na opinião do ex-atacante, o país vai, enfim, comemorar o hexa. "Eu tenho a impressão de que o Brasil será campeão mundial novamente", observa o ex-camisa 8. "Neymar é, hoje, o melhor jogador. É habilidoso, joga muito", acrescenta Silvestre Martins.

Ao melhor estilo Hulk

Citado nos versos da história como atacante veloz, que ora atuava pelas laterais do campo, ora se atrevia a invadir a área do rival, ele, a princípio, recusa as comparações com os 23 de Felipão. Depois cede. "(Estilo) Hulk, talvez", diz. Seja ele, Hulk ou algum dos 200 milhões de brasileiros, o tom será o mesmo: vai, Brasil!

07/06/2014

À caça do Gladiador

Vinícius Dias

Em busca de reforços, o Atlético concentra os esforços no setor ofensivo. Um dos nomes mais comentados nos bastidores é o de Kléber Gladiador. Além do Atlético, no entanto, outras três equipes (duas brasileiras e uma italiana) têm interesse na contratação do atleta, que deve ser emprestado pelo Grêmio.

Em contato com o Blog Toque Di Letra, o diretor de futebol do Atlético, Eduardo Maluf, evitou comentar a negociação. "Como toda contratação, a gente não confirma, nem desmente", afirmou. Na última semana, à Rádio Itatiaia, Maluf havia assegurado que o clube deve fazer pelo menos mais duas contratações.

Cinco jogos, um gol

Durante a manhã, o Blog Toque Di Letra tentou, sem sucesso, contato com Pepe Dioguardi, empresário de Kléber. Neste ano, em cinco jogos, o atacante marcou um gol.

05/06/2014

Nos bastidores da Toca

Vinícius Dias

Enquanto os atletas curtem o período de folga até o dia 16, a diretoria do Cruzeiro se articula, nos bastidores, visando ao segundo semestre. Após oficializar, ontem, a contratação do zagueiro Manoel, a Raposa pretende acertar, nas próximas horas, a permanência do avante Willian. Ao mesmo tempo, o clube vê crescerem as sondagens de clubes europeus por seus principais atletas.

Nesta quinta-feira, em contato com o Blog Toque Di Letra, o diretor de comunicação do Cruzeiro, Guilherme Mendes, explicou três das principais situações dos bastidores.

Ao aguardo do sim

"O Cruzeiro fez uma proposta, e ainda está aguardando uma resposta do Metalist", afirmou. Segundo o Blog Toque Di Letra apurou, o desejo da diretoria é pagar, em cinco parcelas, o total de € 4 milhões pedido pelos ucranianos. "Se confirmar esse negócio, nós vamos passar os detalhes", pontuou o diretor.

Defensor de saída

Segundo informações extraoficiais, o Cruzeiro teria recebido uma oferta de € 9 milhões pelo jogador, de 19 anos. O diretor não confirmou. "Posso te falar apenas o que o futebol profissional me passa. E não me foi passado nada sobre essa situação, afirmou.

Avante descartado

Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, o atacante Fernandinho, que deixou o Atlético há duas semanas, foi oferecido ao clube azul. Guilherme Mendes negou o interesse. "Está 100% descartado (pelo Cruzeiro). Nunca teve isso", afirmou.

04/06/2014


Cidade, a 50 km da capital BH, aposta na combinação entre
história e futebol para conquistar a preferência do público

Vinícius Dias

Como descreve Seu Jorge nos versos de 'Brasis', por suas diversidades e contradições, o país pode ser enunciado no plural. Neste ano de Copa do Mundo, praias, esporte, samba e boa culinária são alguns dos predicados que compõem o leque de atrativos oferecidos aos turistas. A cerca de 50 km de Belo Horizonte, que será uma das 12 cidades-sede da competição, Itabirito aposta na combinação entre natureza e futebol para conquistar a preferência do público.

LEIA MAIS: Carnaval e futebol em Itabirito

Ao lado de Itabira, terra-natal do poeta Carlos Drummond de Andrade, a cidade foi destaque na exposição temática "No Circuito do Ouro também tem futebol", que ocorreu no Mercado Central de Belo Horizonte entre os dias 30 de maio e 1º de junho. O evento foi, ainda, uma oportunidade de homenagear Telê Santana, itabiritense que comandou a seleção canarinho nas Copas de 1982 e 1986.

Futebol e história: as apostas de Itabirito
(Créditos: Circuito do Ouro/Árvore de Comunicação)

O espaço interativo Telê, dedicado a Itabirito, reuniu imagens da cidade e artigos históricos do ex-técnico, como o uniforme da seleção brasileira no mundial de 1982 e uma camisa do Itabirense, time do coração de Telê. A gastronomia local foi representada através do pastel de angu, e a cultura pelo Coral Canarinhos.

Cantos e encantos

Ubiraney Silva, presidente da Associação do Circuito do Ouro, destacou a oportunidade de as cidades apresentarem-se como alternativas turísticas. "Queremos mostrar à população o que há de melhor no Circuito do Ouro", disse. "Seja para quem mora em BH e quer fugir da Copa ou mesmo para os turistas que desejam conhecer as belezas naturais (do estado)", falou. Atualmente, a associação congrega 16 municípios mineiros integrantes da Estrada Real.

03/06/2014


Filme de Lobo Mauro integra a programação do 5º Cinefoot na
capital mineira; curta foi premiado na edição da mostra no Rio

Vinícius Dias

Um pé esquerdo, um milagre e um caldeirão. No dia 30 de maio de 2013, Victor Leandro Bagy se tornava São Victor. Quando Riascos partiu para a bola, o goleiro, numa defesa profética, impediu que o chute rompesse as redes e a esperança atleticanas. Cena de cinema. "A ideia do filme surgiu duas horas após o término do jogo", destaca o cineasta Mauro Reis, mais conhecido como Lobo Mauro. "Moro no Rio de Janeiro, mas fui ao Horto naquele dia. E, como muitos ali, vivi a minha experiência futebolística mais transcendental", acrescenta.

LEIA MAIS: Filme - O Dia do Galo

Quando se sonha tão grande, a realidade aprende será exibido em Belo Horizonte nesta terça-feira, às 21h30, no Cine Belas Artes. "Fico curioso para saber o que cada um sentirá ao assistir ao filme", observa Lobo. A expectativa, segundo ele, aumentou após conquistar o prêmio de melhor curta - júri popular - na edição carioca do 5º Cinefoot. "Meu coração, uma charanga em arritmia. Senti-me o Galo em 1971 vencendo o Brasileiro no Rio", descreve.


Tudo começou na madrugada do dia 31, frente ao computador. "Pedi para que os não-dormidos relatassem para mim onde estavam, o que sentiam e o que viram durante o pênalti", lembra o cineasta. A ideia, a princípio, era produzir um vídeo 'inocente'. "(Porém, o) Galo amplifica tudo, não é?". A iniciativa ganhou destaque na mídia, chegou aos ouvidos do personagem principal, Victor. "E tive, então, que pegar o filme pelo 'chifre das ideias'", recorda o cineasta.

Homenagem ao rádio

Com script definido, Lobo Mauro enxergou no curta, de 14 minutos, uma oportunidade de homenagear o rádio esportivo. "É indissociável do futebol, é uma carga afetiva que nos acompanha", diz. A narração dos depoimentos coube a Willy Gonser, definido por Lobo como mito. A trilha sonora fica a cargo de Osvaldo Reis, o Pequetito, da Rádio Globo. "É uma obra de arte, um presente imaterial e imorredouro que ele deu a todos", justifica.

Voz de Pequetito compõe a trilha sonora
(Créditos: Lobo Mauro/Arquivo/Reprodução)

Sentimento que é compartilhado pelo autor da narração. "É, senão a mais importante, a que mais me projetou em todo o país", destaca Pequetito. "Chega a ser comovente. Foi uma presença de Deus, ali, que acabou por canonizar o Victor. E não tem como repetir aquela narração", acrescenta. Emoção e atleticanos escalados, a sessão vai começar. Quando se sonha tão grande, a realidade aprende.

Cine Usiminas Belas Artes
Rua Gonçalves Dias, 1581, Lourdes
Telefone: (31) 3252-7232