31/01/2013

Pra cima deles, Galo!

Gaaalooo! Saudações, massa!

De volta à normalidade: clássico no Mineirão com as duas torcidas. Já era hora! Após quase três anos com jogos fora, Atlético e Cruzeiro duelarão neste domingo, dia 3, no novo Gigante da Pampulha. Mesmo com certo favoritismo alvinegro, clássico é clássico, e não tem como se tranquilizar. O frio na barriga vem se agravando cada vez mais... A única coisa que sabemos é que o espetáculo completo acontecerá.

E, neste espetáculo, Cuca e sua trupe querem sair vitoriosos. Para isto, têm várias táticas inteligentes para atacar o adversário. Com Bernard alternando de lado no meio-campo com Araújo - que participou como titular em diversos treinos -, com Marcos Rocha subindo em velocidade pela direita, e também com uma possível dupla de ataque com Jô e Alecsandro. E, então, Bernard um pouco mais 'recuado' neste desenho. Sem contar, ainda, com o alto desempenho tradicional de Ronaldinho em grandes clássicos. Vai ser de tirar o fôlego!

Todavia, penso que teremos um embate semelhante aos dois últimos. O Atlético chegando à frente mais organizadamente, e o Cruzeiro atacando sem tanto brio. Mesmo assim, conseguindo fazer os gols. Foram quatro tentos azuis nos dois últimos jogos, devido às falhas defensivas e ao nervosismo do Atlético nas partidas. Por isso, o ataque poderá ser, mais uma vez, o determinante da vitória atleticana. E este é meu palpite para este jogo.

Curta numa boa!

Na arquibancada, o show será garantido por vocês, torcedores. A festa, sempre linda no Mineirão, volta a ter gritos dos dois lados. A verdadeira magia do clássico mineiro. E que esta perdure antes, durante e depois, sem más notícias. Não confundam a rivalidade entre os times com seus torcedores. A paz é fundamental para o espetáculo. Vá, cante, grite, se divirta. Pra cima deles, Galo!

30/01/2013

Raposa de volta a casa

Salve, China Azul!

Estamos voltando para casa. No próximo dia 3 de fevereiro, o Cruzeiro vai voltar a atuar onde viveu muitas de suas tantas glórias. No próximo domingo, o clássico mineiro abre o campeonato estadual para um público de torcidas e chances divididas.

Tendo em vista os elencos dos dois principais times mineiros nos últimos anos, é fato que, em 2013, ambos tendem a apresentar uma melhora, especialmente na técnica. Os dois grupos estão mais parelhos e possuem peças que podem, naturalmente, desequilibrar em um jogo como o da inauguração do novo Mineirão.

O Cruzeiro fez uma faxina geral e contratou em quantidade e qualidade. O Atlético não contratou tanto assim, mas manteve a base do time que ficou em segundo lugar no campeonato nacional do ano passado. O que esperar de um jogo entre os dois? Pois eu espero que, além de uma vitória cruzeirense, o jogo também seja em alto nível, sem violência, nem dentro, nem fora de campo e que seja um marco para uma nova era no futebol de Minas Gerais.

Um jogo diferente!

Mas, como não estamos falando de um jogo normal, qualquer previsão a ser feita será baseada no mais puro e límpido "achismo". Nenhum time de futebol no mundo entra em campo pra perder, mas um clássico com tanta rivalidade como o Cruzeiro x Atlético, ninguém quer perder mesmo. Poder tocar flauta na segunda-feira, contabilizar mais uma vitória na disputa particular, abrir vantagem na busca pela ponta da tabela na primeira fase, enfim, motivo é o que não falta.

Agora, analisando o que eu vi do Cruzeiro até agora, acredito que o time tenha melhorado, e muito, do ano passado para cá. Resta saber como ele vai se comportar em campo, com pressão da torcida e com 90 minutos que valem três pontos e muito mais. Eu apostaria em boas atuações de Éverton Ribeiro e Ceará, com Vinícius Araújo, titular, ou não, entrando pra resolver o jogo. Palpite.

Até semana que vem, e bom jogo a todos... Sempre lembrando: paz no futebol.

29/01/2013

O velho clássico, de casa renovada

Maior vencedor da história do torneio estadual, Atlético é
batido pelo rival Cruzeiro no retrospecto da 'Era Mineirão'

Vinícius Dias

O tempo vai, vem. E os velhos rivais Cruzeiro e Atlético estão de volta ao Mineirão. Ao palco de suas maiores glórias. Que traz às memórias a conquista da Libertadores celeste, em 1997, seis anos antes do inédito Campeonato Brasileiro, em 2003. E, com aura proporcional, a Conmebol alvinegra, em 1997. Contudo, no domingo, dia 3, apenas um deles terá motivos para comemorar. Às 17h00, comandados por Marcelo Oliveira e Cuca, os belorizontinos se enfrentarão pela 225ª vez nos gramados do Gigante da Pampulha.

O duelo, que marca a reinauguração do maior estádio de Minas Gerais, é válido pela rodada de abertura do campeonato estadual. O 47º na 'Era Mineirão'. Habilitado a receber cerca de 62 mil torcedores, com cargas iguais divididas entre as equipes, o representante do estado na Copa do Mundo de 2014 terá em campo um 'novo' Cruzeiro, com treze reforços. Diante do Atlético, capitaneado pelo ídolo Ronaldinho Gaúcho - estreante no palco.

No último duelo, vitória alvinegra
(Créditos: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Se nas quatro linhas, o desejo, em especial, dos torcedores, é pela bola nas redes, fora delas se pensa em números. Tabus. E, por que não, em títulos. O alvinegro, maior vencedor, com 41 conquistas, busca manter a 'hegemonia' frente ao rival, que acumula 35 títulos. E, na contramão, os azuis tentam manter a ponta nos estaduais disputados a partir de 1965, ano de inauguração do Gigante. Detêm 23 conquistas, frente 18 obtidas pelo rival.

Duelo em números...

Após levar a melhor nos dois últimos clássicos disputados no Mineirão, o Cruzeiro tenta ampliar a 'vantagem' diante do rival no estádio. A equipe celeste saiu vitoriosa em 81 dos 224 embates anteriores no local. Para alcançar o 73º triunfo, o Galo se apega ao bom retrospecto conquistado na última temporada, quando somou dois empates e uma vitória nas três partidas.

No registro histórico, 505 gols foram anotados nos dérbis da capital. 262 pelos cruzeirenses, 243 por atleticanos. Média de 2,3 gols por jogo. Um índice, curiosamente, inferior ao de clássicos ocorridos enquanto o palco deste domingo passava por obras. Entre agosto de 2010 e dezembro de 2012, a média foi de 4,3 gols.

28/01/2013

Estreia com o pé direito

Com pouca inspiração e em ritmo de treino, a Raposa venceu o Mamoré por 4 a 1, em amistoso disputado em Patos de Minas. Contando com a ajuda do goleiro Fábio, adiantado, o time da casa inaugurou o marcador após falta cobrada por Myller Alves. Ainda na primeira etapa, o Cruzeiro chegou ao empate em ótimo chute de Diego Souza, o grande nome para 2013.

Na segunda etapa, em que Marcelo Oliveira promoveu oito alterações, a equipe azul balançou as redes outras três vezes. Primeiro, com o jovem atacante Vinícius Araújo, que completou, de cabeça, um cruzamento de Egídio. Depois, com o zagueiro Paulão. E, por último, com Dagoberto, em cobrança de pênalti. Destaque para Vinícius, que marcou seu quarto gol em três partidas.

'Cereja' na quarta?

A próxima quarta, dia 30, será decisiva para selar o retorno do atacante Diego Tardelli ao Atlético. Ídolo alvinegro com 70 gols anotados em 109 partidas pelo time, o camisa 9 do Al-Gharafa, do Catar, se expressou por meio de sua página no Instagram. "Não melou! Só não posso falar nada, por enquanto. Até quarta-feira, acredito que já se resolva tudo", afirmou.

Com base mantida

Ainda à espera de Diego Tardelli, o Atlético estreia no próximo domingo, diante do Cruzeiro, no Mineirão. E com a base pronta desde a temporada passada, Araújo deve ser a única novidade na equipe titular. A partida também poderá marcar a estreia do meia-atacante Morais, de 28 anos, destaque do alvinegro nos três jogos-treino realizados durante esta pré-temporada.

Jovem ouro verde

Com brilhante atuação do jovem lateral-esquerdo Bryan, de 20 anos, o Coelho superou o Democrata de Sete Lagoas, por 4 a 0, no último jogo preparatório. Mesmo com elenco renovado, o time americano continua a contar com a experiência do sete Fábio Junior, que marcou uma vez no sábado. A dupla Felipe e Tiago Alves, e o ala Bryan, puseram números finais no marcador.

27/01/2013

Calafrios à mineira

Alisson Millo

Atlético e Cruzeiro já formaram grandes times e com jogadores que vão entrar para a história. A massa jamais vai esquecer a dupla de ataque Marques e Guilherme ou o time de 2012, um dos melhores já montados pelo Galo. Da mesma forma, a China Azul vai sempre guardar espaço na memória para Alex, Aristizábal e companhia, que garantiram a Tríplice Coroa, em 2003. Ou, mesmo, para nomes de destaque do atual elenco, como Fábio, capitão e ídolo do torcedor cruzeirense.

Mas nem só de craques vive a lembrança do torcedor. Times como o de 2005 do Atlético, que proporcionou a maior vergonha da história do clube ao ser rebaixado para a segunda divisão. Ou aquele de 2011 do Cruzeiro, que passou quase todo o Campeonato atolado na zona de rebaixamento e, por pouco, não disputou a Série B em 2012. A lista de 'monstros sagrados' que passaram pelos grandes da capital mineira é bem extensa. Permite fazer uma seleção de cada time e ainda sobram nomes capazes de dar calafrios não só em atleticanos ou cruzeirenses, mas em qualquer torcedor. 

(Arte: Douglas Vogel Zimmer/Toque Di Letra)

Talvez os nomes de maior destaque da 'seleção atleticana', dirigida por Vanderlei Luxemburgo, sejam Danrlei e Ricardo Bueno. Danrlei chegou em 2004, do Grêmio, com a pompa de um dos melhores goleiros do país. Não vingou. E, muito graças às péssimas atuações e falhas do goleiro, o Galo acabou na segunda divisão.

O caso de Ricardo Bueno não é muito diferente. O centroavante veio do Oeste como artilheiro de um Campeonato Paulista que contava com Neymar, Ronaldo Fenômeno, entre outros. Chegou ao Atlético como a solução para o ataque, o camisa 9 que a massa queria. Não deu certo. Acabou criticado e titular na formação que tem o ex-galáctico Rodrigo Fabri vestindo a dez.

(Arte: Douglas Vogel Zimmer/Toque Di Letra)

Na lista cruzeirense, brilham os nomes de Rivaldo e Edmundo. Rivaldo é, até hoje, nome muito querido pelos brasileiros por grandes atuações na seleção, inclusive com o pentacampeonato em 2002. Chegou ao clube celeste em 2004, e foi um enorme fiasco. Fez somente 11 partidas - de janeiro a fevereiro - e marcou dois gols.

Edmundo foi outro nome bastante badalado na chegada, em 2001. Veio com pompa de ídolo depois de temporadas bem-sucedidas, principalmente pelo Vasco. Jogou pouquíssimas partidas e foi demitido após perder um pênalti em duelo com o time cruz-maltino. Deixou o campo ovacionado... pelos vascaínos.

Outro nome de destaque do time que tem Vágner Mancini no comando é Fabio Santos, que hoje vive grande fase no Corinthians e chegou a ser lembrado algumas vezes por Mano Menezes nas convocações. Na Toca, decepcionou.

26/01/2013


Vice-artilheiro do clube no último Campeonato Brasileiro, Jô
é o preferido do torcedor para vestir a nove na Libertadores

Vinícius Dias

Em 2012, a conquista do Campeonato Brasileiro "bateu" na trave... Nem mesmo os 64 gols anotados em 38 partidas, que significaram o título de ataque mais eficiente do torneio, foram suficientes. Nesta temporada, a 'aposta' da diretoria foi em Alecsandro, que chegou do Vasco/RJ com a missão de colocar a bola na rede. Ele terá concorrência de Jô, autor de dez gols na Série A.

Que, pelo menos na visão do torcedor, segue como titular. Em enquete realizada pelo Blog Toque Di Letra, 53% dos torcedores demonstraram preferência por Jô. Outros 47%, contudo, apontaram Alecsandro como o principal candidato a vestir a nove do clube durante a disputa da Copa Libertadores.

Tardelli é sonho!

Com 70 gols marcados em 109 partidas, em sua primeira passagem pelo clube, entre 2009 e 2011, Diego Tardelli, de 27 anos, é tratado como a 'cereja' do elenco, e o principal desejo da diretoria atleticana para esta temporada. As tratativas visando o seu retorno, iniciadas em dezembro, todavia, seguem indefinidas.


Diego Souza é o favorito dos torcedores cruzeirenses para
vestir a camisa 10 da Raposa; e diretoria sonda Dagoberto

Vinícius Dias

Desde que chegou à Toca da Raposa, em agosto de 2010, o argentino Walter Montillo assumiu a camisa 10 estrelada, tornando-se o principal responsável pela criação de jogadas para os avantes celestes. Fez 122 partidas e anotou 36 gols pelo clube, até a venda ao Santos, no início deste mês. Hoje, a chance de usar o número que um dia coube a Alex e Dirceu Lopes, deve ficar a cargo de um recém-contratado: Diego Souza, Dagoberto ou Éverton Ribeiro.

E o ex-vascaíno, com a preferência do torcedor, parece sair à frente na disputa. Com bom desempenho nas primeiras atividades da temporada, Diego Souza venceu enquete realizada pelo Blog Toque Di Letra, com 55% dos votos. Éverton Ribeiro ficou com 33%, e Dagoberto, que teria sido sondado pela diretoria sobre a possibilidade de usar a dez, alcançou 12% dos votos.

De volta...

Sete anos depois, o Cruzeiro volta a 'fixar' a numeração de seus atletas. Anteriormente, o clube havia utilizado o sistema nas temporadas 2005 e 2006, quando usava material esportivo fornecido pela Puma. Em 2005, a dez coube ao avante Kelly. No ano seguinte, ao meia-atacante Wágner, hoje, no Fluminense/RJ.

25/01/2013

Cinco 'vidas' em jogo

O principal destaque das partidas de ida da primeira fase da Libertadores é o fato de quase todas as equipes seguem vivas no torneio. Cinco das seis partidas de volta serão decisivas para que sejam conhecidos os clubes que avançam à fase de grupos.

A exceção, claro, é o São Paulo. O tricolor paulista fez valer o mando de campo e a enorme superioridade técnica para abrir um 5 a 0 que praticamente coloca a equipe na próxima fase. O que é essencial quando o adversário manda suas partidas na altitude de La Paz.

Por seu lado, o Grêmio não fez sua parte. E nem se pode culpar a altitude. Os gaúchos foram melhores na maior parte do jogo, mas concluíam mal as oportunidades que criavam. Nos últimos 20 minutos recuaram e permitiram à LDU marcar o único gol da partida. Agora precisarão reverter o placar em Porto Alegre, o que não parece impossível, já que a equipe equatoriana não mostrou um bom futebol.

A partida mais interessante da primeira rodada foi entre León e Iquique. Os chilenos surpreenderam com um futebol sólido, e abriram o placar logo nos primeiros minutos. A partir daí seguraram o placar e ameaçaram nos contra-ataques, até que no fim o León fez valer o mando de campo, intensificou a pressão e conseguiu o empate.

As demais partidas tiveram um nível técnico inferior. O Tigre mostrou que segue sendo uma equipe muito limitada e teve grande dificuldade na partida contra o Anzoátegui. O 2 a 1 não dá segurança para a partida de volta, e o Matador vai à Venezuela correndo riscos de eliminação.

Em Montevidéu, Defensor e Olimpia fizeram uma partida de baixíssima qualidade, terminando com um justíssimo 0 a 0. Na Colômbia o Tolima sofreu com a forte marcação do Cesar Vallejo, e acabou vencendo pelo placar mínimo. Os placares mantém os confrontos abertos para as partidas de volta.

'Vamo que vamo'

Gaaalooo! Saudações, massa!

O ex-49 e agora 10, Ronaldinho Gaúcho, volta também a ser jogador da seleção brasileira. Depois de uma reviravolta fantástica no último ano, o craque, de 32 anos, voltará a vestir a amarelinha contra a Inglaterra. E pode, se manter a forma, firmar-se na equipe, e ainda, disputar a Copa das Confederações neste ano. Almejando, assim, a Copa do Mundo de 2014. É. Ele pode, definitivamente, voltar.

Poderemos ter, além de Gaúcho, outro retorno importantíssimo. Este, no Galo. O avante Diego Tardelli, cogitado para 'fechar' e reforçar o ataque atleticano. Por enquanto, temos em mente o esboço do quarteto com: Ronaldinho, Bernard, Tardelli e Jô (ou Alecsandro). Armação, velocidade, drible e finalização. O melhor? Ainda não... No entanto, um ataque muito competitivo para complementar a defesa menos vazada do Brasileiro em 2012.

Entretanto, verdade seja dita: não possuímos o melhor elenco... E muito menos, o mais "acostumado" a disputar a Taça Libertadores. Mas temos um ponto forte: os jogos em casa. Desde agosto de 2011, o Galo não é derrotado em seus domínios. Na primeira fase, serão nove (importantes) pontos disputados em casa, no Independência. Pontos que precisam ser confirmados.

"Parceria" renovada...

Além de tudo, tivemos a confirmação de mais um ano de contrato com patrocinador master, o Banco BMG. E os valores, ainda não revelados, apresentam aumento em relação ao contrato anterior. As coisas estão melhorando. Quem te viu quem te vê Galo. Como disse o nosso querido R10: "vamo que vamo".

24/01/2013

CHARGE - São Paulo vence

(Créditos: Márcio Mata/A Charge do Meu Time)

Tricolor voa, Ganso vê

Vinícius Dias

Três anos após, o desejado reencontro. O São Paulo, de Rogério Ceni, a Libertadores e a velha mística. Diante do frágil Bolívar, num Morumbi com ótimo público. Ingredientes a postos para o show tricolor... Que veio em dose quíntupla, e personificado no meia Jadson, de atuação brilhante na armação de jogadas para a tríade de atacantes: Osvaldo, Aloísio e Luís Fabiano.

'Fabuloso': dois gols na noite de 4ª
(Créditos: Wagner Carmo/Vipcomm)

O Fabuloso, disposto a apagar a atuação vexatória na primeira partida da final da Copa Sul-Americana, em 2012, e a justificar seu retorno à seleção brasileira, balançou as redes por duas vezes. Chegou, assim, ao índice de 92 gols marcados com a camisa são-paulina no Morumbi. E a goleada ainda contou com os toques de Jadson, Osvaldo, e de Rogério, com 40 anos recém-completos.

Protagonista da negociação - de compra - mais cara da história do São Paulo, Paulo Henrique Ganso assistiu, da reserva, ao show. E, discreto, entrou ao fim. Foi mais percebido somente que o adversário. Com pouca qualidade técnica e, exceto quando fora fortalecido pela altitude boliviana, nenhum futebol.

Com os 'velhos' protagonistas, o novo São Paulo vence.
O técnico Ney Franco comemora. Ganso perde espaço...

23/01/2013


Bernard, revelação do último Campeonato Brasileiro, aparece
como terceiro jogador mais 'valioso' da Copa Libertadores 2012

Vinícius Dias

Artilheiro do Atlético/MG, com 11 gols marcados, e eleito a revelação do Campeonato Brasileiro em 2012, o meia Bernard, de 20 anos, é o terceiro atleta mais 'valioso' envolvido na disputa da Copa Libertadores. Avaliado em cerca de € 14,5 milhões, o jovem atleticano ficou atrás, apenas, de Alexandre Pato, com valor estimado em € 21,2 milhões, e Paulinho, cujo valor de mercado é de € 15,6 milhões. É o que aponta estudo publicado pela Pluri Consultoria.

(Créditos: Pluri Consultoria/Divulgação)

A lista, liderada pela dupla corintiana, ainda tem outros 14 brasileiros entre os nomes que figuram no top 30. Na sequência vêm a Argentina, com nove atletas, e Uruguai e Chile, com dois nomes cada. Dos estrangeiros mais valiosos, dois desfilam pelos gramados tupiniquins. O centroavante argentino Hernán Barcos, destaque do Palmeiras, e o meia chileno Eduardo Vargas, contratado como principal reforço do Grêmio/RS nesta temporada.

São Paulo é 'líder'

Com sete nomes entre os 30, o São Paulo, atual campeão da Copa Sul-Americana, é o clube com mais jogadores indicados na pesquisa. Rival e campeão do mundo/Fifa 2012, o Corinthians aparece em segundo, com cinco. O Fluminense, atual campeão brasileiro, soma três. O Grêmio, dois. Palmeiras e Atlético/MG, um cada. 


Depois de ano brilhante no Atlético/MG, Ronaldinho Gaúcho
retorna à seleção brasileira e comemora: 'feliz, muito feliz!'

Vinícius Dias

O futebol mineiro e os ares da Cidade do Galo parecem, mesmo, ter feito bem a Ronaldinho Gaúcho. Em baixa no Flamengo, o meia acertou com o Atlético em junho último, e voltou a se apresentar em um alto nível. No Campeonato Brasileiro, somou 13 assistências, e marcou dez gols que o credenciaram para, quase 11 meses depois, voltar a vestir a camisa da seleção brasileira.

Presente na 'primeira' convocação do treinador Felipão, comandante da conquista do penta em 2002, o craque participará de amistoso contra a Inglaterra, no dia 6 de fevereiro, em Londres. Três dias após encarar o arquirrival Cruzeiro no clássico que marca a reinauguração do Mineirão. Satisfeito com a nova oportunidade, Gaúcho se "expressou" a partir do microblog Twitter.

R10: bom humor pós-convocação
(Créditos: Bruno Cantini/Atlético-MG)

"De volta à seleção. Feliz, muito feliz", publicou em seu perfil oficial, que conta com mais de cinco milhões de seguidores. Logo na sequência, em entrevista coletiva, agradeceu ao Atlético pelo apoio recebido em 2012. "Momento maravilhoso voltar à seleção, tenho que agradecer a todos do Atlético. Comissão, pessoal da cozinha, funcionários e à torcida, que me abraçou desde o primeiro dia", afirmou.

Craque 'de casa'

O bom convívio na passagem anterior de Luiz Felipe Scolari foi um dos fatores que definiram o seu retorno à amarelinha. Questionado sobre a convocação do meia, de 32 anos, o treinador foi objetivo. "Espero que jogue o que sabe jogar. É um craque, e conheço o Ronaldo (Gaúcho) há muito tempo", justificou.

A base da base...

Salve, China Azul!

O começo de ano é sempre meio monótono para os torcedores brasileiros. Pelo menos dentro de campo. O foco principal passa a ser contratações, vendas, empréstimos e "novelas" envolvendo jogadores. Mas, enquanto diretores trabalham e atletas descansam, aqueles que sonham em um dia brilhar pelos relvados mundo afora dão duro e disputam a Copa São Paulo de Futebol Júnior.

O Cruzeiro, por ter uma das bases mais vitoriosas e bem preparadas do Brasil, sempre entra na disputa como candidato a "incomodar". A Raposinha, mesmo que incompleta ou recém-montada, normalmente apresenta um bom futebol e dá esperanças ao torcedor de, em breve, ver algum daqueles moleques jogando pelo profissional.

E foi o que aconteceu no começo deste ano. Os principais destaques daquele time campeão brasileiro sub-20 no ano passado foram integrados ao elenco principal e, por isso, não disputaram a competição em terras paulistas. Mayke, Wallace, Lucas Silva (que subiu há mais tempo), Alisson e Vinícius Araújo começam 2013 treinando entre os profissionais, e devem ter oportunidades de mostrar seu futebol ao longo da temporada.

E apesar da eliminação para o Palmeiras, no último sábado, a impressão que o time comandado por Paulo Ricardo deixou é de que, mesmo sem seus principais destaques, tem alguns bons valores individuais que podem e devem ser aproveitados em breve. O garoto Lynneeker mostrou velocidade e inteligência. O volante Eurico, para muitos, foi o principal jogador do Cruzeiro na competição. Bom na marcação e com boa saída de bola.

Rodrigo Dias, apesar de ter perdido alguns gols bobos, demonstrou ter bom posicionamento e ser um belo cabeceador. Se melhorar as finalizações, pode ser muito útil no futuro. Hugo Sanchez é um lateral eficiente tanto na marcação, quanto no apoio. E o goleiro Charles demonstrou segurança e personalidade, defendendo pênaltis e fazendo defesas incríveis.

Enfim. A base tem por prioridade formar jogadores. Vencer competições sempre é bom, mas não é o mais importante nesta parte da carreira. Acredito que o Cruzeiro ainda vá colher muitos frutos se mantiver o trabalho sério e dedicado na base. E você? Gostou do que viu na Copinha? Acha que os garotos têm futuro?

22/01/2013


Campeão Mundial, Corinthians lidera o ranking, seguido por São
Paulo e Fluminense. Na volta ao torneio, o Galo está em quarto

Vinícius Dias

Começa nesta terça a 54ª edição da Copa Bridgestone Libertadores da América. Em Buenos Aires, o Tigre receberá o Deportivo Anzoátegui, da Venezuela, em jogo válido pela primeira fase. Com 38 times, de 11 países, e cinco brasileiros entre os elencos mais valiosos, de acordo com estudo divulgado pela Pluri Consultoria, o torneio se estenderá até o dia 24 de julho. Atual campeão Mundial, o Corinthians lidera, com o valor estimado em  96,1 milhões.

Logo na sequência, vem o arquirrival São Paulo, que se reforçou com o zagueiro pentacampeão Lúcio e o armador Paulo Henrique Ganso, e está avaliado em  90,1 milhões. No terceiro posto, aparece o Fluminense. O atual campeão nacional, que conta com craques como Deco e Fred, tem valor de mercado, segundo apontado pela pesquisa, de cerca de  80,2 milhões.

(Créditos: Pluri Consultoria/Divulgação)

"Comandado" por Ronaldinho Gaúcho, o Atlético está na quarta posição, com um elenco avaliado em  71 milhões. Reforçado pelo meia-atacante chileno Eduardo Vargas, destaque do futebol sul-americano em 2011, o Grêmio aparece no quinto lugar, com o valor de mercado total de  70,4 milhões. 

'Hermanos' na sequência

Entre não brasileiros, o estudo aponta a dupla argentina Boca Juniors e Vélez Sarsfield como a mais valiosa. Na sexta posição, os xeneizes têm elenco avaliado em  53,1 milhões. Enquanto El Fortín, com o valor de mercado estimado em  45,8 milhões, figura no sétimo lugar. Um posto acima do Palmeiras, o clube menos valioso entre os brasileiros -  45,4 milhões.

21/01/2013

CHARGE - Tá... tá... vindo?

(Créditos: Márcio Mata/A Charge do Meu Time)

Chilenos vêm a BH

Com a promessa de receber a seleção verde e amarela antes da Copa das Confederações, o Mineirão deve ser o palco, no dia 24 de abril, do clássico sul-americano entre Brasil e Chile. É o que noticiou o diário La Tercera. De acordo com a publicação, a partida, que não ocorrerá em data Fifa, deve contar apenas com jogadores que atuam nesses dois países, nos moldes do Superclássico das Américas, disputado contra os rivais argentinos.

Na última semana, esta coluna publicou que o duelo contra a França, inicialmente agendado para a capital mineira, seria disputado na Arena Grêmio, em Porto Alegre, no dia 9 de junho. Na data, o Mineirão, palco do dérbi inaugural entre Cruzeiro e Atlético, ficará à disposição da Fifa para a Copa das Confederações.

Reforço celeste

Enfim, Cruzeiro e Portuguesa se acertaram, e Ananias deve desembarcar ainda nesta semana em Belo Horizonte. Acertado com o clube mineiro há cerca de um mês, o atacante é uma das apostas para dar velocidade ao ataque estrelado. Fora dos planos do treinador Marcelo Oliveira, o meia Souza foi repassado à Lusa, com parte dos vencimentos pagos, a fim de facilitar o negócio.

Adeus à Copinha

A 44ª Copa São Paulo de Júnior, torneio mais badalado da categoria, terminou cedo para os dois principais times mineiros. Cruzeiro e Atlético foram eliminados. Os celestes 'caíram' nas quartas, após derrota para o Palmeiras, por 4 a 2. E o Galo, voltou a ser superado pelo Grêmio, algoz recente na Taça BH. Após um empate por 2 a 2, os gaúchos levaram a melhor na disputa por pênaltis: com o resultado de 4 a 2, avançaram às quartas-de-final.

Enfim, rolou a bola

Com a presença de nove dos 20 clubes que disputarão a Série A nesta temporada, os estaduais Paulista e Carioca tiveram largada neste fim de semana. Destaques para a ótima atuação do reformulado Vasco/RJ, que derrotou o Boavista, por 3 a 0. E para o Fluminense/RJ, que, apesar do time reserva, venceu o Nova Iguaçu, pelo mesmo placar. Em São Paulo, decepção. Barcos perdeu pênalti, e o Palmeiras parou no 0 a 0 com o Bragantino.

20/01/2013

Especial: Pré-Libertadores

Tiago de Melo

Finalmente vai começar a Libertadores 2013. Ou ao menos sua primeira fase, conhecida no Brasil como Pré-Libertadores. E é hora de começarmos a conhecer as equipes dos países vizinhos que disputarão o torneio.

Dos brasileiros, quem enfrenta o adversário mais duro é o Grêmio. A LDU não é mais a equipe que venceu a Libertadores 2008 e a Sul-Americana 2009. Mas segue sendo uma equipe perigosa. Edgardo Bauza, campeão de 2008, é o treinador, e sabe utilizar como poucos a altitude de Quito.

A cidade se situa a 2.600 metros de altitude, o que não chega a assustar. Mas sob o comando de Bauza a equipe joga em velocidade e usa e abusa dos tiros de fora da área, cansando o adversário e aproveitando a trajetória irregular da bola na altitude. E no plantel há vários jogadores que participaram das conquistas anteriores, como Méndez, Araujo, Reasco, Urrutia e Vera.

Para o São Paulo a situação é menos complicada. O Bolívar tem um time fraco, cujo jogador mais conhecido do público brasileiro é Arce, atacante da seleção nacional e que jogou por aqui, inclusive no Corinthians. A equipe mais forte do país atualmente é o The Strongest, campeão dos dois torneios bolivianos de 2012. Cabe apenas ao tricolor paulista abrir na primeira partida uma vantagem suficiente para não passar sufoco na altitude.

Entre os confrontos que não envolvem brasileiros, o mais interessante envolve Defensor e Olimpia. Os violetas uruguaios não tiveram um bom Apertura 2012, mas foram vice-campeões da temporada 2011/2012, e contam com bons jogadores jovens, como o meio-campista Diego "Torito" Rodriguez. Já o Decano paraguaio não venceu nenhum dos torneios nacionais de 2012, mas possui muita tradição e jogadores de boa qualidade, como os atacantes Bareiro e Salgueiro.

O único clube argentino presente na primeira fase é o Tigre. Como viram os brasileiros na final da Sul-Americana, o Matador é uma equipe comum, de poucos recursos, que poucas chances tem de ir longe no torneio. Mas são favoritos a avançar à fase de grupos, dada a fragilidade muito maior de seu adversário. O Deportivo Anzoátegui, com apenas 11 anos de vida, conseguiu importantes conquistas na Venezuela, e pode dificultar as coisas para o Matador. Mas a eliminação do Tigre seria uma surpresa.

Há ainda o confronto entre Deportes Iquique e León, dois estreantes no torneio. Os mexicanos são favoritos, com sua equipe experiente que inclui nomes consagrados, como Rafa Marquez (ex-Barcelona) e Nery Castillo, ambos com longa trajetória na seleção nacional. Mas os chilenos pretendem chegar à fase de grupos ostentando jogadores experientes, como os argentinos Grabinski, Monje e Ereros.

Finalmente, o Tolima é franco favorito contra o Universidad Cesar Vallejo. Os colombianos, que eliminaram o Corinthians nessa mesma fase há dois anos, têm um time experiente, com jogadores como Otálvaro e Valencia. Os peruanos certamente se darão por satisfeitos ao jogar sua primeira Libertadores apenas 17 anos após sua fundação.

19/01/2013


Em encontro na tarde de terça-feira, autoridades definiram
retorno das duas torcidas aos clássicos; internautas apoiaram

Vinícius Dias

Habemus acordo! Em reunião que contou com a presença do governador do Estado de Minas, Antônio Anastasia, e dos presidentes de Cruzeiro e Atlético, foi acertada a volta das duas torcidas ao clássico estadual. "A partir de agora, em todos os estádios de Minas Gerais, teremos sempre garantia das duas torcidas", revelou o governador, em coletiva ao fim do encontro.

Decisão que contou com a aprovação dos torcedores da capital mineira. Em enquete realizada pelo Blog Toque Di Letra, aproximadamente 60% dos internautas se posicionaram de maneira contrária aos clássicos com torcida única. Outros 40%, no entanto, disseram 'apoiar' a iniciativa nos estádios mineiros.

Equilíbrio é 'marca'

Entre agosto de 2010 e dezembro de 2012 - período em que o Mineirão esteve em obras -, dez clássicos com 'torcida única' foram disputados Minas Gerais afora. O retrospecto denota equilíbrio. Quatro vitórias para cada lado, dois empates, e alta média de gols: 4,3 por jogo. A Raposa balançou as redes adversárias em 24 ocasiões. Já o Galo marcou em 19 oportunidades.

18/01/2013

À moda espanhola

Mais uma vez, Messi levou o título da 'Bola de Ouro' como melhor jogador da temporada 2011/2012. Prêmio indiscutível, pois "La Pulga" a cada ano ultrapassa o limite da normalidade, e caminha para o hall dos deuses do futebol. Na mesma noite, na Suíça, ocorreu a eleição da seleção dos onze melhores jogadores do mundo. Escalada no esquema 4-3-3 a seleção conta com:

Casillas (Real Madrid), no gol; Daniel Alves (Barcelona), Pique (Barcelona), Sergio Ramos (Real Madrid) e Marcelo (Real Madrid), formando a linha defensiva; Xabi Alonso (Real Madrid), Andrés Iniesta (Barcelona) e Xavi (Barcelona), compondo o meio de campo; Messi (Barcelona), Cristiano Ronaldo (Real Madrid) e Falcão Garcia (Atlético de Madrid), formando a forte linha de ataque.

Fator que impressionou a todos amantes do futebol foi a seleção estar concentrada em jogadores que atuam nos três principais times da Espanha (Real Madrid, Atlético de Madrid e Barcelona). Fica claro que o fraquíssimo Campeonato Espanhol se difere do torneio à parte que Barcelona e Real Madrid disputam. Tanto no fator financeiro, como em investimentos e visibilidade, as pequenas e médias equipes da Espanha ficam atrás da dupla Real-Barça.

Mas, se pensarmos no ano das duas equipes, questionaremos facilmente essa eleição. Mas o plantel votado por mais de 100 jornalistas de todo mundo tem como plano de fundo a Eurocopa. E, no principal campeonato de seleções da Europa, novamente, a Espanha sobrou com seu futebol revolucionário e encantador.

A seleção tem suas unanimidades, como o ataque formado pelo trio Messi, Ronaldo e Falcão. Mas, por exemplo, o sistema defensivo foi bastante questionado. As laterais, de certo modo, têm os melhores. Na dupla de zaga, debatem a ausência do brasileiro Thiago Silva. Questionamentos à parte, a seleção, baseada no futebol jogado por Espanha e Barcelona, tem seus méritos e seu brilho.

Nova realidade brasileira

Os brasileiros se acostumaram aos seus craques desfilando na seleção do mundo. E nesta última votação, não foi contrário. Marcelo e Daniel Alves perfilaram entres os onze melhores. Mas o povo brasileiro se acostumou a ver grandes jogadores na parte ofensiva da escalação. Todavia, com a "crise" da seleção brasileira, revelamos jogadores de defesa. E poucos grandes nomes no ataque.

Outro fato que foi destaque no prêmio da Fifa foi que o Neymar, melhor brasileiro colocado no Prêmio 'Bola de Ouro', recebeu votos de técnicos e capitães de seleções "sem expressão", mostrando que os grandes países não acompanham nosso campeonato, que dizem ser fortíssimo.

17/01/2013


Campeonato Paulista, com Santos e Neymar, é o mais "valioso";
Mineiro apresenta uma valorização de 18,7% em relação a 2012

Vinícius Dias

Com valorização de 2,4% em relação a 2012, conforme estudo divulgado pela Pluri Consultoria, 20 dos 27 campeonatos estaduais terão largada a partir deste mês Brasil afora. São mais de 230 clubes, cerca de sete mil atletas envolvidos nos torneios. Movendo paixões e emoções de norte a sul do país.

No "top 5" das disputas mais valiosas, segundo a pesquisa, aparecem o Paulista, o Carioca, o Gaúcho, o Mineiro e o Paranaense. Com o valor de mercado de R$ 1,1 bilhão e valorização de 2,9% se comparado à última temporada, o torneio de São Paulo é impulsionado pelo Santos, dono do elenco mais valioso do país, e por Neymar, avaliado em cerca de R$ 144 milhões.

(Créditos: Pluri Consultoria/Divulgação)

Entre os estados que não possuem equipes na Série A, destaque para Ceará e Pará. Capitaneado pelo clube homônimo, o estado do Nordeste possui o estadual mais valioso entre os não representados na elite. Já o Paraense, influenciado pela ascensão do Paysandu, dono do elenco mais valioso, é o segundo torneio que mais se valorizou: 17% - abaixo apenas do Mineiro.

Mineiro "em alta"

Destaque de valorização, o torneio de Minas Gerais apresentou variação "positiva" de 18,7% em relação a 2012. Com doze equipes na disputa, quatro delas das duas principais divisões do país, alcançou um valor de mercado de quase R$ 390 milhões. Ênfase para o Atlético, que responde por 41% do montante.